Arquivos do Blog

IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

Os jogos têm como objetivo promover o desenvolvimento em todas as áreas do conhecimento, resgantando o prazer pelo aprender.

Diante de teorias fundamentadas de Piaget (1996) e Vigotsky (1987), podemos dizer que os jogos, brinquedos e brincadeiras e sua relação com o desenvolvimento e a aprendizagem, há muito tempo, vêm sendo explorados no campo científico, como um processo auxiliador no desenvolvimento cognitivo da criança.

O brincar desperta a imaginação, abrindo novas possibilidades de aprendizagem, pois, neste estágio, a criança tem liberdade de criar, imaginar e é por meio da ludicidade que a criança exterioriza seus anseios e imita o mundo dos adultos. Ao fazer de conta, ela desenvolve a imaginação, idealizando um mundo real ao criar situações. Os jogos e as brincadeiras são estratégias metodológicas que proporcionam uma aprendizagem concreta por meio de atividades prática

Anúncios

Receita

INGREDIENTES:
1 xícara de sabonete infantil ralado
1/2 colher de sopa de corante alimentício
3/4 de xícara de água quente
Outros: potes para misturar e binasgas de catchup para colocar a mistura.
Sugerimos usar um sabonete para pele sensível, já que a criança irá manuseá-lo.

MODO DE FAZER:

Use seu liquidificador ou processador de comida para misturar, assim terá uma consistência espessa. Adicione a xícara com os flocos de sabão ralado e coloque a água quente gradualmente. Verifique se a água está quente! O 3/4 de xícara de água é uma sugestão, pare de adicioná-la no momento em que tiver uma textura espessa, mas ainda macia. A última etapa é misturar a massa com a tinta, para isso pode usar potes com palitos de picolé, a brincadeira permite assistir as cores se misturarem, uma lição prática na teoria das cores. Depois de pronta, coloque a mistura na bisnaga, a espessura da tinta realmente deixa a textura em alto relevo. Quando acabar toda a tinta da bisnaga, a criança pode misturar e brincar com os dedos.Limpar tudo é muito fácil. Basta molhar a pintura com a água do chuveiro e assistir as cores desaparecerem sob o jato d’água, essa etapa também faz parte da diversão!

Alunos e o xadrez

Objetivo:

.Proporcionar aos alunos deficientes a oportunidade de conhecer e aprender o jogo de xadrez e utilizá-lo para desenvolver suas habilidades cognitivas.

Abaixo, um vídeo onde um dos alunos explica as regras do xadrez para outros

Percepção visual

Objetivo:
.Desenvolver percepção visual.
Os jogadores devem traçar retas entre os pontos na vertical ou na horizontal, com a finalidade de formar quadrados completamente fechados. Cada jogada permite ao jogador fazer apenas um único traço por vez. O jogador que fechar o quadradinho deve inserir-lhe uma identificação, como a letra inicial do nome do jogador, por exemplo, deixando visível a “posse” por aquele quadrado. Ganha o jogo quem no final possuir o maior número de quadradinhos fechados. Professora e aluno jogaram.

Bloco Lógico

Objetivo:

.Trabalhar a capacidade do aluno em identificar tamanhos, cores, formas, correspondência e classificação.

JOGO LIVRE
Primeiramente, o aluno reconheceu o material. Formou então, desenhos com as formas dos blocos lógicos, observando e comparando as cores, os tamanhos e as formas. Esse trabalho poderá ser feito em grupo, pois os alunos, através de diálogos, enriquecerão o conhecimento das características físicas de cada bloco.

COMPARANDO

Desenvolvendo a escrita através de imagens

 – Objetivos:
· Desenvolver a memorização;
· Desenvolver habilidades linguísticas e cognitivas;
· Desenvolver a interpretação;

.Desenvolver habilidade da escrita das palavras.

– Ferramenta utilizada:

Papel pardo;

Revistas;

Cola;

tesoura;

Computador.

Argumentação:

O aluno procurou gravuras em revistas, as recortou, colou e escreveu seus nomes em uma folha separada e em seguida digitou as mesmas no computador, imprimindo, recortando e colando sob as gravuras encontradas.

Quando os alunos conseguem, através de imagens, descrever acontecimentos e reconhecer fatos, sua habilidade linguística e cognitiva estão sendo ativadas junto com sua interpretação e memorização. Sendo assim, pude observar o desempenho do aluno.

Image

Xadrez como estratégia pedagógica

O xadrez requer lógica, conhecimento e raciocínio, tudo num modelo de construção própria do sujeito, o jogador, no caso a criança que desafia o oponente, a outra criança, a testar seus conhecimentos em xadrez, auxiliado por sua habilidades citadas, mais a oportunidade de “ler” a mente de seu adversário e antecipar suas ações e produzir movimentos que levem seu oponente a cometer erros de assimilação de seus movimentos., ignorando o que interessa às crianças”. Vamos construir conhecimento a partir do que nossos alunos buscam e não através deles.

O aluno vinha faltando muito na escola e nos atendimentos do AEE, sem vontade para realizar as tarefas. Usei a estratégia de oferecer ao aluno, a possibilidade de participar mais ativamente do seu processo de ensino/aprendizagem, bem como o dos seus colegas, pedi para que ele me ajudasse a recordar com os alunos, o que tinham aprendido no ano anterior sobre o xadrez, como suas regras, nomes das peças, movimentos etc…

Também o usei como ferramenta de comunicação (enviar recados, pedir coisas na secretaria…), pois este aluno tem dificuldade de dialogar com outros alunos e até mesmo com os professores. Nesta perspectiva de ensinar seus colegas e se sentir importante o aluno começou a dialogar com os outros alunos e professores. Motivado e incentivado, o aluno tem frequentado a escola e os atendimentos do (AEE) e sua frequência passou a ser ótima.

O aluno fez toda a explicação para os colegas e aceitou fazer o vídeo com suas explicações. Nesta linha de aprendizado poderemos dar espaço para o aluno expor o seu processo construtivo, e verificar as lógicas que emprega no desenvolvimento das atividades e verificar os argumentos que o aluno nos passa a respeito de seu próprio raciocínio.