Arquivo da categoria: Para Refletir

TÉCNICA DA ANTECIPAÇÃO PARA DIMINUIR ANSIEDADE DE CRIANÇAS AUTISTAS

Crianças com autismo possuem um modo particular de processar informações: diante de um fato novo, elas buscam em sua mente alguma imagem correspondente a ele. Se já tiverem se deparado em este fato anteriormente, ao menos uma imagem será encontrada, e elas ficarão tranquilas porque sabem que estão diante de algo pelo qual já passaram antes.Ansiedade-cópidda
Caso a situação seja nova, entretanto, não encontrarão nenhuma imagem em suas mentes, e por ficarão ansiosas e incomodadas. Uma forma de evitar que o desconforto surja é oferecer-lhes imagens daquilo que elas ainda não conhecem para seu repertório mental. Trata-se de uma forma de antecipar a novidade, para que quando ela ocorra de fato a criança já esteja familiarizada e preparada para lidar com ela.
O recurso da antecipação pode ser usado quando a criança passará por alguma mudança de ambiente, seja por motivo de viagem, visita a parentes e amigos, ou mesmo troca de residência ou de escola.
Mostrar a ela uma fotografia do local, explicando com detalhes o que acontecerá lá – se chegará de carro ou a pé, se tocará a campainha, quem irá atender, o que fará ao entrar no local, as pessoas que deverá encontrar – é também uma forma de explicar-lhe qual é o comportamento esperado dela.
A estratégia pode ser bastante útil na escola, sobretudo naquelas onde as crianças tendem a fazer cada atividade em uma sala diferente, o que pode confundir e perturbar a criança com autismo. Para facilitar e otimizar seu tempo, o professor pode utilizar sinais e senhas em vez de descrever detalhadamente uma imagem. Um exemplo dessa tática é habituar-se a mostrar à criança um cartão com a cor da sala – ou da porta, de uma cortina –  onde será desenvolvida a atividade a seguir, por exemplo, antes de levá-la ao local.
Ações rotineiras, mas que não fazem parte do dia-a-dia da criança, como cortar os cabelos em um salão, também podem ser mais tranquilas quando se usa a antecipação. A criança pode ficar incomodada com o ruído do salão ou mesmo com a sensação dos cabelos caindo ao seu redor. Mostrar a ela fotografias de cabelos, tesouras, ou, de preferência, do próprio salão, durante alguns dias antes, ajudará a lembrá-la que o único objetivo daquela visita é ganhar um novo corte de cabelos, o que diminuirá sua ansiedade em relação ao que acontece ao seu redor.
 Fonte: Desafiando el autismo.
Anúncios

Site orienta sobre fala de crianças entre 0 e 7 anos

blog_fala

O site “Fonoaudiologia e Pediatria”, desenvolvido pela pesquisadora Aline Martins, reúne textos, vídeos e ilustrações que explicam o desenvolvimento da comunicação em crianças entre 0 e 7 anos.

Criado durante o mestrado de Aline Martins, o site oferece orientação para pediatras, educadores, profissionais de saúde e pais. Intitulada “Telessaúde: Ambiente Virtual de Aprendizagem em aquisição e desenvolvimento da linguagem infantil”, a dissertação foi defendida na Faculdade de Odontologia da USP, em Bauru.

O site foi avaliado por 63 fonoaudiólogos, nos aspectos técnico e de conteúdo, e recebeu 5.046 visitas do Brasil e de outros países, entre setembro e dezembro de 2012. Atualmente está aberto ao público, e também apresenta as fases da infância propícias a alterações da fala, além de informações sobre prevenção destas alterações.

Aline Martins ressalta a importância de profissionais da área de saúde e educadores conhecerem o processo de desenvolvimento da fala. “Os profissionais que acompanham a saúde e desenvolvimento criança de forma sistemática nos primeiros aos de vida são fundamentais no processo de aquisição e desenvolvimento da linguagem”.

Fonte: Universidade de São Paulo.

Interação Inclusão

1044452_479840562095576_992579073_n

Fonte:Deficiente Ciente

Dia do Intérprete de libras

993790_546661662035907_341233292_n

Você tem acompanhado a rotina escolar do seu filho?

968794_350714498364656_922627210_n

Segundo o Pense (Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar) 70% dos brasileiros não supervisionam os deveres de casa das crianças e 40% não sabem o que elas fazem no tempo livre. A pesquisa apontou ainda a exposição de jovens a fatores de risco, como uso de drogas ilícitas, lícitas e a experiência da relação sexual sem o uso de preservativo.
Considero tal pesquisa pertinente, porém, extremamente preocupante tendo em vista o resultado apontado. Em textos anteriores falei da importância da relação primeva entre pais e filhos, mas vale salientar que tal relação deve ser cultivada em todo processo de desenvolvimento do sujeito, assim como uma criança precisa dos pais para crescer, quando cresce precisa dos pais para orientá-la e sobretudo educá-la, filhos precisam de pais que sejam pais.
Isso quer dizer que é preciso estar presente na vida do filho, ensinar certo e errado, saber dizer não diante de manhas, rebeldia e vontades narcisistas, é preciso dialogar, enfim, acompanhar de perto o que seu filho anda fazendo. Não adianta dar um telefone para saber o que ele esta fazendo, é preciso ser presente.
Educação não é uma tarefa exclusiva da escola, a escola complementa a educação de um sujeito, mas é na relação mãe – pai – filho que nos desenvolvemos e nos estruturamos enquanto sujeito, e isso não é delegável.

(Fonte: Jornal Gazeta do Povo)
Editado por Amanda Marilia Leitte

 

 

Desejamos a vocês um feliz São João!

943453_532478413481863_156233471_n

SOMOS TODOS IGUAIS

179764_587242984653054_1818871454_n